“Aos golpes de sempre, a luta como nunca!”

Em 2016, a conjuntura política atual, em meio a manobras  grotescas de um governo interino ilegitimo e golpista, estamos assistindo a retirada inconstitucional de direitos que foram conquistados ao longo de décadas pelas lutas populares no país.

Golpes que já vem sendo protagonizados históricamente nas Américas, na África, no Oriente aos povos do mundo que foram e vem sendo explorados por um modelo de sociedade imperialista e capitalista a partir de poderes políticos, bélicos e econômicos.

Golpes também cotidianos de falta de garantia de direitos previstos na constituição federal, golpes de falta de condições e acesso às políticas públicas setoriais de mulheres, igualdade racial, LGBTT, à diversidade cultural, à moradia, à saúde, à educação, à merenda escolar, aà garantia de todos os direitos trabalhistas, à comunicação, à participação social e popular na construção de um governo efetivamente democrático.

Golpes extremamente atuais, de interesses empresariais e indivuduais, de UMA família padrão e elitista. Golpes de uma organização social hierárquica, meritocrata e nada laicista, que reprime, oprime e excluí o povo na garantia dos direitos básicos.

Um Golpe que cada vez mais se desvenda pelo cinismo e egoísmo dos representantes do capital e que estão nos espaços de poder, na força de manter seu poder hegemônico de monopólios, oligopólios e o controle dos setores sociais.
Pela e com a Mostra Luta! chamamos todos e todas para cumprir junto mais essa missão de organizar, visibilizar e amplificar as lutas sociais no Brasil, que vem sendo travadas nos últimos anos, na perspectiva de combater as opressões e colocar as problemáticas e contradições sociais no foco das discussões políticas.

Bem vindos à 9ª Mostra Luta!

Aos golpes de sempre, a luta como nunca!

Veja mais no link do edital aberto da 9ª Mostra Luta! para inscrição de filmes e trabalhos fotográficos:

Edital 9ª Mostra Luta!

A Mostra Luta! chega a sua 9ª Edição e abre reuniões de organização

MostraLuta9

No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de uma ínfima minoria que define todo o conteúdo que será transmitido para a enorme maioria da população. Com um gigantesco poder de manipulação, esta minoria garante a lucratividade e a manutenção da exploração e da opressão dos trabalhadores e trabalhadoras, fortalecendo o sistema capitalista. Os donos da mídia reinam intocados no topo de seus canais de TV, emissoras de rádio, editoras de revistas e jornais, que não sofrem quase nenhuma fiscalização do conteúdo que transmitem. Esses meios constantemente incentivam a estrutura de exploração das classes populares, a opressão de diversos grupos sociais como mulheres, negros e homossexuais, bem como tratam como criminosos os movimentos sociais organizados que buscam romper com este perverso sistema de exploração e opressão através das lutas por direitos sociais.

O Coletivo de Comunicadores Populares surge da vontade de criar canais de comunicação popular entre os movimentos sociais, os oprimidos e os explorados; surge da necessidade de lutar contra a criminalização dos movimentos sociais realizada pela grande mídia; surge do desejo de falar, de ter voz, de quebrar o enorme silêncio que nos é imposto.

A Mostra Luta, organizada por esse Coletivo é um desses canais de comunicação popular. É um espaço para expressão de todas e todos que não tem acesso aos meios de difusão de suas lutas, idéias e ideais e que buscam resistir, criticar ou mesmo romper com esse sistema de exploração e opressão.

A mostra permite que através da exposição de fotos e vídeos e realização de debates e oficinas sejam difundidas, debatidas e fortalecidas as lutas contra a exploração, a miséria, a concentração de renda e terra, o machismo, o racismo, a homofobia, ou qualquer outra forma de opressão, o monopólio dos meios de comunicação, a mercantilização da cultura e da arte, a progressiva perda de direitos que sofre a maioria da população e a criminalização dos que buscam lutar por esses direitos.

Venha mostrar sua luta!

Veja a Programação Completa da 8ª Mostra Luta!

8ª Mostra Luta!

02 de Outubro de 2015 – Abertura

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 1 – Exibição de Filme + Debate

filmedefensorxs

Filme: “Defensorxs” – Realização: Coletivo Nigéria, Fortaleza/CE (2015), 90 min -.

Sinopse: No momento em que o Brasil vivencia medidas consideradas contrárias à consolidação dos direitos humanos, como a aprovação da redução da maioridade penal e a exclusão de conteúdos sobre gênero dos planos de educação, organizações como a Plataforma Dhesca Brasil, a Justiça Global, o Intervozes e a Nigéria lançam o filme DEFENSORXS, que traz à tona o difícil cotidiano de quem luta em defesa de direitos no país.

Debate: A luta de Direitos humanos e cidadania que está por todo o país.

Local: Praça Bento Quirino, S/N – Rua: Sacramento, s/n – Centro – Campinas/SP

-

03 de Outubro de 2015

16h às 19h

Atividade: Sessão Mostra Luta 2 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da Sessão: Ocupação Hotel Cambridge, Acampamento Dom Tomás Balduíno, As Sementes, Capão dos Angicos, Quem Matou Gilberto, Um Minuto de Silêncio.

Detalhes:

QuemMatouGilberto

Filme: “Quem matou Gilberto” – Realização: Na Favela, Rio de Janeiro/RJ (2014), 4 min

Sinopse: O filme se passa no complexo da Maré em um momento muito conturbado deintervenção militar. Todos que atuaram nesse filme são moradores da própria comunidade. Ficção de humor com uma pegada bem.


UmMinutodeSilencio

Filme: “Um minuto de silêncio – Realização: Ynaê Cortez, Mogi das Cruzes/SP (2014), 1min

Sinopse: Este vídeo é uma homenagem aos inocentes mortos pela polícia militar no Brasil, especialmente durante a implantação e manutenção das unidades da polícia pacificadora no Rio de Janeiro.


OcupacaoHotelCambridge

Filme: “Ocupação Hotel Cambridge” – Realização: Andrea Mendonça e Leonardo Ciacci, (2014), São Paulo/SP, 24 min

Sinopse: O antigo Hotel Cambridge, localizado na região central de São Paulo, fechou as portas em 2004. Após 8 anos de abandono e sem cumprir função social, o edifício foiocupado pelo MSTC – Movimento Sem Teto do Centro – em 23 de novembro de 2012 ehoje abriga 170 famílias. Esse filme mostra como a Ocupação é gerida e mantida por seus moradores, que organizam diversas iniciativas para garantir que as famílias dos trabalhadores tenham acesso a moradia digna, educação e cultura.


as-sementes

Filme: “As sementes” – Realização: Beto Novaes, Rio de Janeiro/RJ (2015), 30 min

Sinopse: Dirigido pelo cineasta e economista Beto Novaes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o documentário é um registro das trajetórias de vida de mulheres agricultoras que participam ativamente dos movimentos agroecológicos no Brasil e que se tornaram referências e/ou lideranças sociais e políticas em seus territórios. As Sementes é inspirado no livro Mulheres e Agroecologia: transformando o campo, as florestas e as pessoas, que surgiu a partir da tese de doutorado de sua autora, Emma Silliprandi.


CapaodosAngicos

Filme: “Capão dos Angicos” – Realização: Rosemeire Salata, Araraquara/SP (2014), 6 min

Sinopse: Registro audiovisual do acampamento Capão dos Angicos, na cidade de Araraquara/SP. Realizado quando a ocupação contava com aproximadamente um mês de existência e possuía 400 barracos.


AcampamentoSaoThomasBalduino

Filme: “Acampamento Dom Tomás Balduino – Realização: Comitê de Apoio e Solidariedade ao Acampamento Dom Tomás Balduino, Goiania/GO (2015), 25 min

Sinopse: No dia 31 de agosto de 2014, aproximadamente 3.000 famílias, ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ocuparam uma das 90 fazendas que compõem o grande latifúndio representado pela Agropecuária Santa Mônica, de propriedade do Senador Eunicio Oliveira (PMDB), consolidando o Acampamento Dom Tomás Balduino.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) Rua Regente Feijó, 859 – Centro – Campinas/SP

-

19h às 22h

Atividade: Estréia de Espetáculo de Palhaço + Exibição de Filmes + Lançamento de Livro.

BocaDeRua

Filme: “Boca de Rua – Vozes de uma Gente Invisível”, Realização: Marcelo Andrighetti.
Porto Alegre/RS (2010), 10 min

Sinopse: documentário contando a história do único jornal do país produzido inteiramente por pessoas que moram em situação de rua.


EuExisto

Filme: “Eu existo” – Realização: Ana Carolina Capozzi, Júlia Cruz, Olívia Almgren, São Paulo/SP (2012 ), 17min

Sinopse: Documentário “Eu Existo”, produzido pelo Centro Acadêmico XI de Agosto sobre a questão dos direitos humanos para a população em situação de rua no centro de São Paulo.


EspetaculoCircodaMiseria2

Espetáculo: “Circo da Miséria”, de Jeff Vasques

Sinopse: Magrólhos arma do lixo a lona preta de seu circo, convidando o público passante para o maior desespetáculo da Terra!


LancamentodeLivroInfantil

Lançamento de Livro Infantil: “Psiu! uma estória infantil para adultos ou uma história já madura para crianças” de Jeff Vasques, ilustrações de Letícia Graciano.

Sinopse: Entre um conto de fadas e um conto de fatos, a estória de Psiu, um velhinho que “vivia andando” pelas ruas, ou melhor, “andava vivendo”.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS)Rua Regente Feijó, 859 Centro – Campinas/SP

04 de Outubro de 2015

 

16h às 19h

Atividade: Sessão Mostra Luta 3 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da Sessão: Macuco: Um bairro operário e Quem tem juízo resiste e luta.

Detalhes:

MacucoUmBairroOperario

Filme: “Macuco: Um bairro operário” – Realização: Ailton Martins, Santos/SP (2014), 47 min

Sinopse: Em meados do ano de 2013, moradores do bairro Estuário em Santos tiveram a informação por meio da televisão de que seria construído um túnel submerso para interligar as cidades de Santos e de Guarujá. Para efetivação da obra, em torno de mil famílias seriam desapropriadas. A notícia caiu como bomba no bairro e acabou impulsionando a população a se organizar – debates e manifestações foram travados entre o poder público e a comunidade.


QUEM-TEM-JUÍZO-RESISTE-E-LUTA

Filme: “Quem tem juízo resiste e luta” – Realização: Marcos Ribeiro Mesquita, Maceió/AL (2015), 24 min

Sinopse: O filme acompanha a trajetória de resistência e luta dos moradores da Vila de Pescadores do Jaraguá em Maceió (AL) por moradia e urbanização da área em que habitam há 60 anos. Registra também o cotidiano, o trabalho, sua cultura e o dia em que foi expulsa de seu território por determinação da justiça.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) -  Rua Regente Feijó, 859 – Centro Campinas/SP

-

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 4 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da Sessão: O Muro é o Meio, O lado de Cima da Cabeça, Óna, A Notícia Por Quem Vive, Bem Vindo a Juazeiro do Norte, Artigo II

OMuroEOMeio

Filme: “O muro é o meio” – Realização: Eudaldo Monção Jr., Aracaju/SE (2014), 15 min

Sinopse: O documentário aborda as pichações de protesto gravadas nos muros da Universidade Federal de Sergipe. São gritos de revolta pela falta de segurança no campus, estrutura e qualidade de ensino. As pichações são mostradas como formas de indignação, reivindicação e também de comunicação contra a apatia das paredes brancas que abafam os conflitos socioculturais.


OLadodeCimadaCabeca

Filme: “O lado de cima da cabeça” – Realização: Naira Soares, Ilhéus/BA (2014), 14 min

Sinopse: Esse documentário tem o intuito de questionar os padrões de beleza estabelecidos pela sociedade, a identidade negra e o racismo através do cabelo.


Ona

Filme: “Óna” – Realização: Coletivo Criativo de Rua, Rio de janeiro/RJ (2015), 5 min

Sinopse: Um poeta realiza uma oferenda a Exu, mensageiro entre Orún e Aye, afim de libertar os caminhos da sua raça que até hoje sofre com um preconceito cultural e estético.


ANoticiaPorQuemVive

Filme: “A notícia por quem vive” – Realização: Thiago Dantas, Yuri Samico, Pedro Nóbrega Brasil, Rio de Janeiro/RJ (2013), 5 min

Sinopse: Este curta documentário, usado numa campanha de crowdfunding para financiamento do jornal “A notícia por quem vive”, busca encadear de forma lúdica as histórias dos moradores, dos jornalistas envolvidos na produção do veículo e da própria comunidade, retratando os infortúnios, os desafios e as alegrias de se viver e fazer notícia na Cidade de Deus.


BemVindoAJuazeirodoNorte

Filme: Bem-vindo a Juazeiro do Norte – Realização: Ythallo Rodrigues Brasil, Juazeiro do Norte/CE (2015), 20 min

Sinopse: Bem-vindo a Juazeiro, sinta-se em casa! Veja-me até onde a vista alcançar… agradeço a sua visita!


ArtigoII

Filme: Art. II (Artigo II, o Filme) – Realização: Centro de Mídia Independente, Rio de Janeiro/RJ (2014), 4 min

Sinopse: O curta mostra o Artigo II da DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS sendo “atacado” pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 Centro – Campinas/SP

-

05 de Outubro de 2015

19h às 22h

Atividade: Abertura das Exposições Mostra Luta + Debate com convidados

Foto Nani

Exposições: Desenhos Censurados pela Ditadura, de Nani + Charges de Sindicato, de Bira Dantas + Fotografias Mostra Luta! do Brasil, de varios fotógrafos

IMG_8916

Sinopse Exposição Nani: DITADURA NÃO PRESTA. CENSURA NÃO PRESTA. Nani. A minha geração de cartunistas nasceu nos anos 1960 no tempo da Ditadura. Começamos a exercitar nossa profissão já sob o jugo da censura. Aprendemos a burlar a censura, a gente usava muitas metáforas para fazer os desenhos… Por exemplo, para caracterizar os porões da ditadura ou a tortura, a gente usava as figuras do carrasco, do bobo do Rei… O jogo era driblar a censura. Era charge de militância. A gente fazia charge para derrubar a ditadura.

Debate: Produção de Quadrinhos e Charges de Lutas na RMC – Quais os espaços de disputa: com Bira Dantas, Riba Ribeiro, Batata Sem Umbigo e Donizeti Marcolino.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 Centro – Campinas/SP

-

06 de Outubro de 2015

 

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 5 – Exibição de Filmes + Debate.

Filmes da sessão: “Moinho 14” e “Catracaço de Aniversário”

Debate: Comunicação Como Direito Humano – Chamada de Coletivos e Militâncias da Comunicação.

Detalhes:

Moinho14

Filme: “Moinho 14” – Realização: Movimento Moinho Vivo, Comboio e Fabcine, São Paulo/SP (2014), 41 min

Sinopse: Moinho 14 é uma paródia audiovisual do documentário carioca Rocinha 77, e traz um panorama atualizado da luta urbana travada pela última favela do centro de São Paulo com as forças político-econômicas.


CatracacodeAniversario

Filme: “Catracaço de aniversário” – Realização: Centro de Mídia Independente, Rio de Janeiro/RJ (2014), 13 min

Sinopse: A semana do 26 de outubro é a semana nacional de lutas do Movimento Passe Livre desde 2005. No DF, o movimento participou da vitoriosa greve metroviária fazendo piquetes nas estações de metrô. 25 de outubro, no aniversário do MPL-DF. Um catracaço foi o presente do MPL-DF aos usuários do metrô de Brasília.

Local: Casa de Cultura Tainã – Rua Inhambu, 645 – Vila Padre Manoel da Nóbrega, Campinas/SP.

07 de Outubro de 2015

15h às 17:30h

EspetaculoCircodaMiseria

Atividade: Espetáculo de Palhaço + Lançamento de Livro

Espetáculo: “Circo da Miséria”, de Jeff Vasques

Sinopse: Magrólhos arma do lixo a lona preta de seu circo, convidando o público passante para o maior desespetáculo da Terra!

Lançamento de Livro Infantil: “Psiu! uma estória infantil para adultos ou uma história já madura para crianças” de Jeff Vasques, ilustrações de Letícia Graciano.

Sinopse: Entre um conto de fadas e um conto de fatos, a estória de Psiu, um velhinho que “vivia andando” pelas ruas, ou melhor, “andava vivendo”.

Local: Centro Pop – Rua José Paulino, 603 – Centro – Campinas/SP

-

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 6 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da sessão: Makking Off Final, Notícia Mal Contada, Sonhos de Um Amanhã, Só Rochas Para Nós: Internos do sistema sócioeducativo contam sua história, Especialistas discutem seletividade do sistema socioeducativo e PEC 171, Entrevista: Movimento estudantil mexicano se reorganiza após o massacre de Ayotzinapa.

Debate: Produção Audiovisual nas Periferias – Apropriação Tecnológica e Disputa Política pela Juventude.

Detalhes:

NoticiaMalContada

Filme: “Notícia mal contada” – Realização: Cinema de Guerrilha e Movimento do Vídeo Popular, Águas Lindas de Goiás/GO (2015), 18 min –

Sinopse: Vídeo-documentário produzido na Oficina de Imagem Popular de Águas Lindas de Goiás, questiona a visão oficinal da mídia sobre Águas Lindas, divulgada como uma das cidades mais violentas do mundo. Quais os efeitos dessa visão sobre a população? Quem pode e o que pode falar sobre a quebrada?


SonhosdeUmAmanha

Filme: “Sonho de um amanhã” – Realização: Cinema de Guerrilha e Movimento do Vídeo Popular, Águas Lindas de Goiás/GO (2015), 24 min

Sinopse: Vídeo realizado na Oficina de Imagem Popular de Águas Lindas, GO, é baseado no livro Amanhecer Esmeralda, de Férrez e aborda o racismo e o abandono na vida de uma menina negra que se torna inspiração para uma mudança maior.


MakingOFF

Filme: Makking Off Final – Realização: Cinema de Guerrilha e Movimento do Vídeo Popular, Águas Lindas de Goiás/GO (2015), 18 min

Sinopse: Relato em vídeo sobre a Oficina de Imagem Popular: processo coletivo eautônomo de transformação social.


SoRochaPraNois

Filme: “Só rocha pra nós: Internos do sistema sócioeducativo contam sua história” – Realização: Coletivo Maruim, Florianópolis/SC (2015), 13 min

Sinopse: O filme narra histórias de adolescentes que cumprem penas socioeducativas, trazendo também relatos de de profissionais que trabalham com esses jovens.


EspecialistasDiscutemSistemaSocioEducativo

Filme: “Especialistas discutem seletividade do sistema socioeducativo e PEC 171” –

Realização: Coletivo Maruim, Florianópolis/SC (2015), 10 min

Sinopse: O filme mostra pontos de vista de dois especialistas: Nayara Aline Schmitt Azevedo, assessora da Vara da Infância e da Juventude, e Luciano Goes, advogado criminal a respeito da PEC 171. Abordam o ECA, a seletividade dos sistemas penal e socioeducativo, a atuação da polícia, o racismo estrutural e a privatização dos presídios.


EntrevistaMovimentoEstudantilMexicano

Filme: “Entrevista: Movimento estudantil mexicano se reorganiza após o massacre de Ayotzinapa” – Realização: Coletivo Maruim, Florianópolis/SC (2015), 8 min

Sinopse: O filme discute políticas neoliberais, ações violentas do Estado contra os movimentos sociais e negligência em relação às escolas normais rurais. Contextualiza o massacre de Ayotzinapa, em setembro de 2014, quando sete pessoas morreram, 42 desapareceram e 29 ficaram feridas após ataque contra alunos da Escola Normal Rural Raúl Isidro Burgos, no estado mais pobre do México.

Local: Praça da Catedral de Campinas – Rua: 13 de Maio, s/n – Centro – Campinas/SP

08 de Outubro de 2015

19h às 22h

Atividade: Debate

SalaGlauberRocha

Debate: MIS 40 Anos – Museologia Social: Interação Social no Museu

Local: Museu da IMagem e do Som de Campinas (MIS), Sala Glauber Rocha – Rua Regente Feijó, 859 – Centro – Campinas/SP.

09 de Outubro de 2015

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 7 – Exibição de Filme + Debate

Oswaldao

Filme: “Osvaldão” – Realização: Ana Petta, André Michiles e Fábio Bardella/ Fundação Maurício Grabóis, São Paulo/SP (2015), 75 min.

Sinopse: Osvaldão é um filme que narra a história de Osvaldo Orlando da Costa, importante líder negro da Guerrilha do Araguaia. Osvaldão, como era conhecido devido seu tamanho e sua força, foi brutalmente assassinado pela ditadura militar e a família nunca pode velar seu corpo. Os brasileiros não conheceram sua história na luta pela liberdade. Nesses cinquenta anos de “descomemoração” do golpe, lançamos os questionamentos: onde estão seus restos mortais, ocultados pelo exército brasileiro até hoje? Onde está Osvaldo nos livros didáticos e na história do país?

Debate: A ditadura civil-militar no Brasil e a luta  para contar a nossa história

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 – Centro Campinas/SP.

10 de Outubro de 2015

10h30 às 13h

EspetaculoCircodaMiseria

Atividade: Espetáculo de Palhaço + Lançamento de Livro

Espetáculo: “Circo da Miséria”, de Jeff Vasques

Sinopse: Magrólhos arma do lixo a lona preta de seu circo, convidando o público passante para o maior desespetáculo da Terra!

Lançamento de Livro Infantil: “Psiu! uma estória infantil para adultos ou uma história já madura para crianças” de Jeff Vasques, ilustrações de Letícia Graciano.

Sinopse: Entre um conto de fadas e um conto de fatos, a estória de Psiu, um velhinho que “vivia andando” pelas ruas, ou melhor, “andava vivendo”.

Local: Praça da Catedral de Campinas – Rua: 13 de Maio, s/n – Centro – Campinas/SP

-

14h às 18h

Pelagus

Atividade: Nós por Nois – Oficina de Dança + Apresentação do espetáculo “Y KHYSSA”, do Núcleo Pélagos de Dança de Campo Limpo, São Paulo/SP

Sinopse: Y-KHYSSA é um espetáculo de dança contemporânea e significa “O que é meu”, no dialeto Yathê da tribo indígena Funiô de Pernambuco. Esse tema foi o grande norteador da pesquisa sobre apropriação e pertencimento. “O que é meu? Minhas crenças? Minhas tradições? Meu cheiro? Minha cor? Meu canto? Minha casa? O que me constitui?

-

18h às 22h

Atividade: Nós Por Nois – Projeções Livres + Debate + Apresentações Artísticas de Mc’s da Quebrada e de grupos de dança hip hop de Campinas + oficinas.

Local: Praça Pública entre os bairros de Parque Oziel, Monte Cristo e Gleba B – Campinas/SP – Rua Tenente Neviton Garuti S/N

11 de Outubro de 2015 – Encerramento

14h às 16h

fuck the police

Atividade: Roda de Conversas: “Tensionamentos entre o espaço  privado e público” com Thiago Bortolozzo.

Sinopse: Apresenta projeto fotográfico gerador de uma intervenção artística com fotografias que narram fatos históricos do “1º Maio” dia do trabalhador em Berlim. O debate propõe gerar reflexões sobre os poderes das instituições e seus discursos, ampliando a discussão sobre a ocupação de espaços públicos e privados nas cidades.

16h às 19h

Atividade: Sessão Mostra Luta 8 – Exibição de Filme + Debate

BrancoSaiPretoFica

Filme: “Branco Sai, Preto Fica” – Realização Adirley Queirós, Ceilándia/DF (2015), 93 min

Sinopse: Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

Debate: Racismo Institucional e Genocídio da Juventude Negra

-

19h às 22h

Festa de encerramento

Apresentações: Banda Nego Mantra + Banda Choque Vermelho + Lançamento de Livro de André Nogueira + Performance de Letícia Conde (São Carlos) + Projeções Livres

Detalhes:

ManifestoLenitivo

Lançamento de Livro: Manifesto Lenitivo, de André Nogueira

Sinopse:  Tenho-lhes a Dar Umas Palavras indigestas, eu sei, mas precisamos conversasr num mesmo nível e é para coçarmos nossas calvas daqui a cem anos que hoje proclamo este manifesto lenitivo. Vocês querem, pois, um livro? Sempre, quando abro uma gaveta de achados e perdidos, entre tocos de lápis grampos de cabelo gordurentos e chaveiros com escudos futebolísticos, encontro uma (ou duas) amostra grátis do Novo Testamentoe às vezes uma brochura, num capricho de papel magenta, do Manifesto Comunista.

-

12041600_10206201848777713_1463127828_o

Foto: Filippo Pugliesi

Performance: Tele-visão, de Letícia Conde (São Carlos)

Sinopse: Poluição. Nossa visão teleguiada. Machismo, posse, estupro, submissão,
territorialismo. Feminicídio, aborto, chacina, genocídio. Racismo, morte em massa. Sangue todo dia sete dias na semana. Ao vivo. Com carnaval e mula tá dançando samba. Duração: de 30 a 40 minutos.

-

NegoMantra

Show: Banda Nego Mantra

Sinopse:  Thiago Carvalho, Léo Lopes, Gustavo Sales, Willian Carraro – Banda Alternativa Afro-rock

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 – Centro Campinas/SP.

__________________________________

3ª Mostra Luta! Itinerante – Espaços Culturais de Resistência

17 de Outubro

19h00

Atividade: Exibição + Debate na Espaço Maloca Arte e Cultura

Filme: Branco Sai Preto Fica – Realização: Adirley Queirós, Ceilándia/DF (2015), 93 min

Sinopse: Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.
Local: Maloca Arte e Cultura – Rua Maria Pink Luíz (Antiga Rua 64), 100. Vila União – Campinas/ SP

29 de Outubro

19h00

Atividade: Exibição + Debate no Centro de Arte e Cultura com Coletivo de Educação Popular Jacuba

Filme: Branco Sai Preto Fica – Realização: Adirley Queirós, Ceilándia/DF (2015), 93 min

Sinopse: Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

Local: Centro de Arte e Cultura: Rua Armelinda Espúrio da Silva, 785m, Jardim Nossa Sra de Fátima – Hortolândia-SP

3ª Mostra Luta! Itinerante – Nas Escolas

 

A escola é um espaço de contradição. Reflete as desigualdades, as violências, os conflitos e tensões que constituem a vida social. Também é espaço para a poesia da vida, do encontro, das trocas e socialização dos saberes tão diversos entre os muitos sujeitos que nela convivem.

Os filmes que a Mostra Luta Itinerante leva aos educadores e estudantes aprofunda a consciência sobre essas contradições, permitindo reflexão e análise crítica e contribuindo para um projeto educativo emancipador. Já em sua terceira edição, em 2015 a Mostra Luta Itinerante vai ocorrer entre os dias 26 e 30 de outubro, privilegiando estudantes da EJA (Educação de Jovens e Adultos), nas seguintes escolas municipais de Campinas:

 -EMEF/EJA André  Tosello

-Projeto EJA/Viracopos

-EMEF/EJA Oziel Alves Pereira

-EMEF/EJA Padre Narciso Ehremberg

-EMEF/EJA Geny Rodrigues

-EMEF/EJA Gal Humberto de Sousa Mello-EEI/EJA Raul Pila

-CEMEFEJA Pierre Bonhomme

-EMEF/EJA Profa Dulce Bento Nascimento

-CEMEFEJA Nísia Floresta

Sessão da Mostra Luta, com dois filmes de Campinas, ocupa e reivindica sala de cinema no MIS

mostra luta

Ontem, dia 15 de outubro, a Mostra Luta realizou uma ocupação na inacabada Sala Glauber Rocha, no MIS, pelo segundo ano consecutivo. Como destacou a historiadora e funcionária do MIS, Sonia Fardim, a ação faz parte da luta histórica realizada para a construção de uma sala pública de cinema no MIS. Orestes Toledo, também historiador e funcionário do MIS, ressaltou a vontade de que a sala tenha toda a estrutura necessária para o cinema, desde que seja auto-gestionada pela população, como são as demais atividades no museu.

A ocupação já havia ocorrido no ano passado, com a presença do diretor de cultura de Campinas, Gabriel Rapassi. Na ocasião, ele havia se comprometido com a construção da sala. Uma ano depois, ainda aguardamos que seja iniciado o projeto e continuamos a ocupar o espaço para cobrar esta reivindicação histórica, dentro do direito ao acesso à cultura e da necessidade de uma sala de cinema na cidade.

Durante a “Ocupação sala de cinema Glauber Rocha” foram exibidos quatro filmes. Os dois primeiros foram produções de Campinas. Crônica de uma obra aberta, de Viviana Echávez, Flávio Ferrão e Alberto Cohon, foi resultado de um curso de documentário no MIS. O trabalho retrata a busca dos participantes na realização de um filme sobre a democracia e frente à surpresa das manifestações de 2013, que mudaram o rumo do projeto. O segundo, Quem não é visto não é lembrado, de Gabriel de Barcelos, busca fazer uma reflexão sobre o uso da câmera dentro das lutas sociais.

Além dos dois filmes campineiros, foram exibidos Independência ou… da TV Viva, grupo pernambucano dos anos 80 que atuou no campo do vídeo popular e da TV de rua e Jornada dos Povos na Serra do Padeiro, sobre a luta indígena na Bahia. Os filmes geraram vários debates, ao final da exibição tanto sobre a linguagem do cinema, como sobre as questões políticas abordadas.

mostra luta 2

 

mostra luta 3

Mostra luta continua hoje

A Mostra Luta segue com o debate “Tecnologias e Lutas: Pré-Encontro de Comunicadoras e Comunicadores Livres de Campinas”, com a presença do TC Silva, da Casa de Cultura Tainã e outros convidados. Hoje, dia 16 de outubro, a partir das 19 hs, no MIS, Campinas.

Veja a programação completa

fotos: Sonia Fardim

Ditadura militar marcou as discussões na abertura da Mostra Luta

mostra luta

A Sétima Mostra Luta teve o seu início ontem, dia 10 de outubro, com a abertura de duas exposições. Além da tradicional mostra de fotografias das lutas sociais, os participantes tiveram acesso às ilustrações de Didi Helene, do livro Brasil: Ditadura Militar- um livro para os que vieram bem depois de nós, trabalho que traz a história do regime ditatorial no Brasil, para crianças.

Na parte do audiovisual, ocorreu a exibição do longa ficcional Corte Seco, de Renato Tapajós. O filme, com características autobiográficas, mostra a experiência vivida pelos presos políticos na Ditadura Militar, mostrando de forma bem crua e direta as torturas e o dia-a-dia dos militantes da resistência, na prisão. Após a exibição, os participantes conversaram com o diretor, presente na sessão, fazendo perguntas e colocações sobre o trabalho.

A Mostra Luta segue hoje, dia 11 de outubro, com teatro exibições de rua. Na Praça Bento Quirino ocorrerá a apresentação de Fuleiro Circo, da Companhia Estudo de Cena, às 17h30. Logo após, no mesmo local, serão exibidos os curtas Relato de uma Experiência: A farsa da Justiça em El Dorado dos Carajás, Revolta da Roleta e Unindo quebradas 1: o Filme.

Saiba mais informações pela programação completa

A 7ª Mostra Luta!

7ªMostraLutaCartazFINAL

A Mostra Luta!, evento que já está em sua sétima ediçao consecutiva em Campinas-SP, acontece este ano de 10 a 19 de Outubro e terá programações abertas e gratuitas em vários espaços da cidade.

Neste ano, a 7ª Mostra Luta! terá como eixos centrais temáticos, alguns debates relevantes por meio de obras audiovisuais independentes, que trazem discussões atuais num contexto nacional, entre eles estão: os “50 anos do Golpe Civil-Militar de 1964”, “Tecnologias e Lutas – Pré Encontro de Comunicadoras e Comunicadores Livres de Campinas”, “Luta e Resistência da Cultura Negra em Campinas – Nação Nagô 10 Anos” e “A Luta Indigena no Brasil”.

A abertura deste ano contará com o lançamento em Campinas do último filme do Renato Tapajós, “Corte Seco” (2014), e terá a presença do diretor, no Museu da Imagem e do Som de Campinas, no dia 10 de outubro, às 19h. No domingo, dia 12 de outubro, será exibido o filme “Cabra Marcado Para Morrer”, em homenagem ao cineasta documentarista, Eduardo Coutinho, com o primeiro longa metragem de sua carreira.

Entre as outras atividades da programação acontecerão tambem: exibição e discussão de filmes, teatro, dança, formações, debates, intervenções artísticas, exposição de desenhos e trabalhos fotográficos, música e festa multilinguagem.

Desde o início do ano Coletivos de Comunicadores Populares locais realizaram encontros e reuniões para a construção participativa da Mostra e a partir de junho, foi aberta uma chamada pública de produções de foto e vídeo que recebeu bastantes obras muito representativas de lutas sociais e populares de de várias regiões do Brasil.

A Mostra Luta! Já acontece há sete anos, propondo um exercício de organização, formação, produção, difusão e circulação de obras audiovisuais de cunho popular e social, que levantem e/ou amplifiquem narrativas e realidades sociais ainda pouco visibilizadas nos espaços políticos e culturais das cidades. É também um festival independente e alternativo de movimentos de luta em busca da democratização da comunicação do país.

Veja o Folder com a programação:

7aMostraLutaMostraLutaProgramacaoFRENTE

7aMostraLutaMostraLutaProgramacaoVERSO

Acesse a programação completa

 

Exposição Fotográfica 7ª Mostra Luta!

01

Mulheres Empoderadas, Campinas. 2014. Arcília Lima.

02

Somos Todas Vadias, Campinas. 2014. Arcília Lima.

03

Oposição, Campinas. 2014. Arcília Lima.

04

Gerações em Luta, Campinas. 2014. Arcília Lima.

05

Terra, direito e dignidade, Campos Grande. 2014. Eliel Freitas Jr.

06

Mulheres na Luta, Nova Alvorada do Sul. 2013. Eliel Freitas Jr.

07

Somos Todos Indígenas, Somos Todos Sem-Terra, Campos Gran. 2014. Eliel Freitas Jr.

08

Basta de Violência Contra as Mulheres do Campo, Nova Alvorada do Sul. 2013. Eliel Freitas Jr.

09

VI Congresso Nacional do MST, Brasília. 2014. Eliel Freitas Jr.

10

Nossa Copa é Na Rua, Rio de Janeir0. 2014. Fábio Caffé.

11

Grito por Direitos, Rio de Janeiro. 2013. Fábio Caffé.

12

Somos Todos Favela, Rio de Janeiro. 2013. Fábio Caffé.

13

A Festa dos Estádios Não Valem as Lágrimas da Favela, Rio de Janeiro. 2014. Fábio Caffé.

14

Mulheres Na Luta, Rio de Janeiro. 2013. Kátia Carvalho.

15

Contra o Leilão do Pré-Sal, Rio de Janeiro. 2013. Kátia Carvalho.

16

Grito de Liberdade, Rio de Janeiro. 2013. Kátia Carvalho.

17

Povo na Rua, Rio de Janeiro. 2013. Kátia Carvalho.

18

Primeiro Grande Ato de Manifestação em Hortolândia, Hortolândia. 2013. Leandro Nascimento.

19

Mulheres na Marcha, Mulheres na Luta, São Paulo. 2014. Lineu Kohatsu.

20

Mulheres na Marcha, Mulheres na Luta, São Paulo. 2014. Lineu Kohatsu.

21

Mulheres na Marcha, Mulheres na Luta, São Paulo. 2014. Lineu Kohatsu.

22

Ocupação Caju 01, Rio de Janeiro. 2013. Luiz Baltar.

23

Ocupação Caju 02, Rio de Janeiro. 2013. Luiz Baltar.

24

Remoção Manguinhos 01, Rio de Janeiro. 2013. Luiz Baltar.

25

Ocupação Maré 01, Rio de Janeiro. 2014. Luiz Baltar.

26

Ocupação Maré 02, Rio de Janeiro. 2014. Luiz Baltar.

27

A Batalha da Presidente Vargas, Rio de Janeiro. 2013. Stefano Figalo.

28

Setembro Negro, Rio de Janeiro. 2013. Stefano Figalo.

29

Lapa, Rio de Janeiro. 2013. Stefano Figalo.

30

Black Blocs, Rio de Janeiro. 2013. Stefano Figalo.

31

500.000, Rio de Janeiro. 2013. Stefano Figalo.

 

 

Prorrogação para inscrições no Edital Mostra Luta – até 10 de agosto

ProrrogaçãoEditalMostraLuta

O Coletivo de Comunicadores Populares de Campinas informa que o Edital de inscrição de filmes e trabalhos fotográficos da 7ª Mostra Luta será prorrogado até o dia 10 de agosto. Tod@s @s interessad@s poderão se inscrever seguindo as instruções do edital que está disponível no site: www.mostraluta.org e aceitará a postagem dos materiais via correio até a data do dia 10 de agosto.

Festival Flaskô de Cultura – 11 anos sob controle operário

A Flaskô é uma fábrica ocupada que produz tambores e que está sob controle dos trabalhadores desde a falência provocada pelo patrão em 2003. Em agosto de 2010, ocorreu o primeiro Festival em decorrência da criação da Fábrica de Esportes e Cultura da Flaskô. A iniciativa tem como objetivo potencializar a luta dos trabalhadores da fábrica e promover atividades culturais e esportivas para a comunidade do entorno. Foi criado também o galpão de esportes e cultura, onde acontecem atividades de caráter público, com construção coletiva, oferecendo um espaço cultural que a cidade de Sumaré tanto carece.

Neste galpão atualmente há atividades semanais como aulas de EJA, cirandas com as crianças, exibição de filmes no Cine Flaskô, atividades esportivas na Pista de Skate, assembléias e mutirões mensais para a organização do espaço, apresentações musicais, visitas à linha de produção da fábrica e atividades culturais diversas.

A inscrição para o evento é gratuita. Para aqueles que forem participar é solicitado que se inscreva no site www.festivalflasko.org.br para que a comissão organizadora possa oferecer a melhor infraestrutura possível aos participantes. Será aberto um espaço para alojamento solidário para aqueles que não forem do município, com refeições coletivas nos dias do evento.

Para maiores informações sobre o evento e consulta da programação, acesse o site: www.festivalflasko.org.br/

O Festival de Cultura da Flaskô acontece entre os dias 29 e 31 de agosto e contará também com atividades pré-festival entre os dias 22 e 24 de agosto. As atividades acontecerão na Fábrica e nos arredores dela.

Endereço: Rua Marcos Dutra Pereira, 300, Parque Bandeirantes, Sumaré.

Cartaz Festival Flaskô 11 Anos

Inscrições abertas para a 7ª Mostra Luta! Consulte os editais para a inscrição de vídeos e/ou trabalhos fotográficos!

MostraLuta2014

7ª MOSTRA LUTA!

O Coletivo de Comunicadores Populares está organizando a 7ª Mostra Luta! Mais uma vez, além de garantir o espaço de exibição e debate de filmes que abordem lutas sociais, esperamos que a Mostra seja um estímulo à produção audiovisual sobre a realidade e a luta de trabalhadoras e trabalhadores, movimentos sociais e populares. Iniciamos o ano de 2014 com diversas mobilizações que foram recebidas, novamente, por bombas e balas de borracha.

A repressão da ditadura militar ainda repercute nos dias de hoje, 50 anos após o golpe civil e militar de 1o de abril de 1964. A memória deste período nos ajuda a refletir sobre as conquistas, utopias e barbáries da atualidade, ano em que o Brasil sediará Copa do Mundo de Futebol; ano de eleições presidenciais; ano em que a luta continua. No entanto, estas vozes da rua que clamam por direitos sociais são, quase sempre, caladas pelo monopólio dos meios de comunicação.

A Mostra Luta se junta a essas vozes e oferece suas telas para projetar as diversas resistências que fazem a história deste país e do mundo. É de nosso interesse acessar e projetar histórias que geralmente não são contadas!

Inscreva-se! Participe! Ajude a divulgar!

As inscrições serão recebidas do dia 11 de Junho até o dia 31 de Julho. Os materiais postados após esta data não participarão da seleção.

Organização da 7ª Mostra Luta!

Coletivo de Comunicadores Populares

Mais informações e inscrições no edital